Lá não como cá

Sonia Racy

03 de agosto de 2011 | 23h03

O Cenipa, centro de investigação de acidentes da Aeronáutica, estranha. Segundo fonte da Aeronáutica, o relatório do BEA sobre a tragédia da Air France, divulgado semana passada, traz diferença importante na comparação com o feito no Brasil em relação ao acidente da TAM em Congonhas.

Como a Airbus tem como meta fazer aeronaves cada vez mais automatizadas, o Cenipa sugeriu que a empresa elabore também sinalização para o piloto. Por meio de seu display, o sistema indicaria a correção a ser feita em caso de falha no super-avião.

Técnicos acham que a Airbus se preocupa demais em prevenir acidentes consequentes de falha humana. E de menos com um possível erro da aeronave.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: