Advogado criminalista será “advogado de defesa” da Lava Jato no 11 de agosto

Sonia Racy

21 Julho 2017 | 14h58

Em um vídeo de dois minutos que começa a circular nas redes sociais, o advogado Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, faz um convite geral marcado por intensa ironia. Ele convoca todo mundo para estar no dia 11 de agosto, o Dia do Advogado, em Curitiba para um “tribunal popular” em que será julgada… a Lava Jato. (Veja o vídeo.)

‘Eu serei o advogado de defesa da operação”, diz Kakay, que defende 18 acusados na operação. No convite ele “defende as virtudes” da operação de Curitiba, lembrando que ela “tem um juiz exclusivo, e com jurisdição nacional”, o que é muito importante. Ela tem também “um processo de espetacularização do penal que tem uma série de vantagens —  os juízes são heróis, os procuradores se postam como heróis – e assim podem fazer grandes palestras para poderem movimentar a economia nacional”.

Kakay diz ainda que, com o processo, “criou-se um clima propício para passar as Dez Medidas… e a prova ilícita”. E nessa linha se poderá “diminuir o escopo do habeas corpus, o habeas corpus atrapalha, faz com que a justiça seja mais lenta!”. E fecha sua argumentação dizendo que com tudo isso “já  se conseguiu uma coisa ótima, que é a criminalização da política, coisa que já tem apoio nacional”.

E termina com o dedo em riste, como no antigo cartaz: “O Brasil precisa de você!”