Justiça provisória

Redação

08 de janeiro de 2010 | 11h59

A maioria dos 200 funcionários do fórum de Poá, Grande São Paulo, está de braços cruzados há dois meses – e não deve voltar ao trabalho antes do carnaval. Sob risco de desabar, o prédio está fechado desde novembro.

Grupos de dez funcionários, em rodízio, dão plantão provisoriamente numa pequena sala no fórum de Ferraz de Vasconcelos.

Mas um vigia, um telefonista e outro funcionário continuam de plantão no prédio condenado – coisa da qual a assessoria do TJ-SP diz não ter conhecimento.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.