Jovens amigos criam startup que vende passagens de executiva por preço de econômica

Jovens amigos criam startup que vende passagens de executiva por preço de econômica

Direto da Fonte

23 de janeiro de 2022 | 06h21

Gianlucca Nahas e Marco Fragali. Foto: Silvana Garzaro

Os jovens empresários Gianlucca Nahas e Marco Fragali criaram a “Fly By” – startup que vende passagens aéreas executivas pelo preço de econômicas – quando tinham 16 anos e estavam no último ano do ensino médio do tradicional colégio Saint Paul’s. Mas qual é o segredo para conseguirem esse valor? “Precisamos voltar a 2017”, diz Fragali. “Enxerguei uma oportunidade de negócios a partir das milhas que as pessoas acabavam perdendo por não consumir. Chamei o Gian e começamos a vender algumas para os amigos, e depois pais de amigos, e depois amigos dos pais, agências… enfim, organicamente o negócio foi crescendo e se estruturando”.

Mesmo tendo enfrentado o período mais crítico da pandemia, onde as viagens estavam em ‘stand by’, a dupla acumulou números expressivos. “A empresa já negociou mais de 15 bilhões de milhas desde seu surgimento – isto pode ser avaliado em aproximadamente 78 milhões de reais”, conta Fragali. “Nosso faturamento anual gira em dezenas de milhões de reais”, acrescenta. Como a variante Ômicron e as próximas que estão por vir afetam o negócio? “Acreditamos que o turismo seguirá um novo normal – com atestados de vacinas, testes e, no futuro, uma padronização dos requisitos de viagem.”

E a desvalorização do real perante o dólar e as outras moedas, também não afeta o business? “Na medida em que o câmbio aumenta, as companhias aéreas abrem mais assentos para serem negociados com milhas, uma vez que a demanda média de bilhetes aéreos diminui. Desta forma, nos beneficiamos do reflexo do câmbio”, explica Nahas. /SOFIA PATSCH

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.