Josué Alencar recusa convite para ser vice de Alckmin

Sonia Racy

26 de julho de 2018 | 11h46

 

JOSUÉ GOMES

JOSUÉ GOMES. FOTO JONNE RORIZ/ESTADÃO

Josué Alencar recusou convite para ser vice presidente de Geraldo Alckimin. Enviou há pouco mensagem comunicando sua decisão e agradecendo. A resposta do empresário mineiro põe fim a um vaivém que se arrastou por vários dias, entre tucanos, o empresário e líderes do Centrão, que o indicaram para completar a chapa.

Em reunião ontem à noite, em Brasília, dirigentes do DEM, PP, PR, SD e PRB não conseguiram bater o martelo, até porque não tinham recebido nenhuma posição do dono da Coteminas e filho do falecido vice de Lula, José Alencar. A propósito, essa condição — de filho de uma figura importante justamente do principal adversário do PSDB — era apontada como problemática para a indicação. Cauteloso, Alckmin comentou ontem a já quase certa recusa de Josué afirmando que “não há pressa” e que esse seria “um bom problema”. No Centrão, no entanto, havia certa irritação pelas hesitações do empresário, que chegou a ser tachado por Paulinho, do SD, como “deselegante”.