José Padilha comenta assassinato de Marielle

José Padilha comenta assassinato de Marielle

Sonia Racy

21 de março de 2018 | 00h20

Denise Andrade/ ESTADÃO

José Padilha está pessimista em relação a um controle da violência no Rio.

Durante a pré-estreia de seu novo longa, Sete Dias em Entebbe, anteontem, o cineasta comentou a morte de Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes: “Não sei qual foi o motivo e nem quem a matou, mas isso é recorrente no Rio”.

Indagado sobre a última cena de Tropa de Elite 2 – que está sendo compartilhada nas redes sociais como um “prenúncio” do assassinato da vereadora – Padilha reafirmou sua opinião.

“As pessoas dizem que eu previ, mas é fácil prever. A violência no Rio é tão grande que, vez ou outra, acontece algum ato simbólico como esse, a morte do Tim Lopes, a chacina da Candelária, o caso do ônibus 174 e todo mundo se mobiliza, achando que alguma coisa vai mudar. Mas não há nada que me diga que as coisas vão melhorar”, disse.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: