Joias com história

Joias com história

Sonia Racy

29 de setembro de 2019 | 00h34

Foto: Iara Morselli/Estadão

Quando a arquiteta Lorena Rabelo se mudou de Belém para São Paulo, aos 22 anos, jamais imaginou que daria uma guinada radical em sua carreira e se transformaria em uma designer de joias. Hoje, com 33 anos, a paraense fundou a butique de joias Lure. “Crio principalmente para mulheres executivas, independentes, que escolhem e pagam por suas próprias joias”, conta. “Penso em cada detalhe da peça junto com a cliente, estudo a história por trás daquela peça e crio um design totalmente único, para valorizar as pedras preciosas e também a pessoa que irá usá-la.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: