Joaquim Barbosa volta a pensar em candidatura presidencial

Joaquim Barbosa volta a pensar em candidatura presidencial

Sonia Racy

07 de dezembro de 2019 | 00h50

JOAQUIM BARBOSA. FOTO ESTADÃO

 

Embora longe dos holofotes, Joaquim Barbosa voltou a olhar com simpatia a ideia de uma candidatura presidencial em 2022. Consta que o ex-ministro teria sinalizado positivamente para o PSB, com quem está reconstruindo as relações. Mês passado ele almoçou com o presidente do partido, Carlos Siqueira, e tem mantido contato com o deputado carioca Alessandro Molon.

Barbosa não foi à convenção socialista, semana passada, no Rio – onde mora –, mas está sintonizado com as lideranças da legenda. Entende que discutir sucessão presidencial agora é um desserviço ao País.

Netflix toma depoimento
de Rodrigo Maia

Rodrigo Maia gravou depoimento para a Netflix, semana passada. À coluna, contou que sua fala para a empresa foi sobre o Banestado. Mas desconversou se seria para nova série ou documentário.

A Netflix avisa, via assessoria, que não há previsão de lançamento de nova produção brasileira ou sobre o País. E que, por ora, está descartada uma terceira temporada da série Mecanismo, inspirada na Lava Jato.

Queda de braço
pela sucessão no Iphan

O Iphan deve ganhar novo presidente na semana que vem. Segundo apurou a coluna, Roberto Alvim não abre mão de escolher um substituto para Kátia Bogéa, mesmo com pressão do ministro da pasta, Marcelo Álvaro Antonio, para que a indicação do novo nome seja tarefa dele.

Olhando à frente

Um grupo de 120 examinadores do Instituto Nacional de Propriedade Industrial receberá curso especial de capacitação para analisar patentes da indústria 4.0 que estão na fila do INPI.

O curso, a ser dado semana que vem, no Rio, por engenheiros da Bosch, é fruto de parceria entre a CNI e o instituto, que estão juntos no Plano de Combate ao Backlog de Patentes. Em menos de cinco meses, o número de pedidos na fila de espera caiu em mais de 15 mil.

Diversidade

Para 72% dos empreendedores negros, empreender é mais vantajoso que estar no mercado de trabalho. O dado está em pesquisa encomendada pela Feira Preta e feita pelo Plano CDE e a JP Morgan. Dos 1.220 entrevistados, 918 são negros e 302 brancos. Dentro desta segmentação, 35% empreendem por vocação, 34% por necessidade e 22% por engajamento.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: