JANTAR ÀS CEGAS

JANTAR ÀS CEGAS

Sonia Racy

26 de janeiro de 2014 | 01h12

Foto: Iara Morselli/estadão

Maria Lyra e Elis Feldman são psicólogas e idealizadoras do programa sensorial Ateliê no Escuro – que, entre outros projetos, realiza jantares em que os comensais são vendados com o intuito de aguçar os sentidos. “Quando não enxergamos o que comemos, estimulamos o paladar e transformamos o jantar em uma viagem sensorial”, explica Maria. “Indicamos comer com as mãos e ficar em silêncio, para que se sinta melhor a experiência”, emenda Elis. Nenhum jantar é igual ao outro. “Pensamos em temas para compor cada um. O último foi uma homenagem à cidade de São Paulo, do menu às canções, comoSampaeTrem das Onze”, explica Maria. Para estimular a audição, uma equipe de oito músicos anima os participantes enquanto eles tentam descobrir o que estão comendo. Os encontros acontecem duas vezes por mês nos restaurantes Beato e Figo. E a dupla também faz eventos particulares.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.