Janot cria ‘gabinete de crise’ do MP para acompanhar Olimpíada

Sonia Racy

01 Agosto 2016 | 12h27

O Ministério Público Federal tem um gabinete de crise das Olimpíadas para chamar de seu – e até já fez sua primeira reunião, na sexta-feira, devidamente presidida por Rodrigo Janot.

A ideia é fazer com que o MP atue de forma coordenada, nas várias cidades onde houver competições, e  “dar uma pronta resposta” a assuntos que envolvam interesses nacionais.

Quais assuntos? Na lista dos onze que constam da agenda de trabalho dos procuradores estão temas como terrorismo, questões migratórias, greves e manifestações, consumidor (juizados do torcedor, por exemplo) e infância e juventude, entre outros. Um dos grupos que merecem atenção especial é o de Segurança Pública, Direitos Humanos e Prevenção do Terrorismo.

Na reunião da sexta, um dos temas foi a troca de experiências sobre os problemas enfrentados, entre os grupos instalados no Rio, em SP, Bahia, Minas e DF e Territórios.