Jango

Direto da Fonte

20 de fevereiro de 2015 | 01h05

A família de João Goulart não desiste. Anunciou que fará um novo exame, “desta vez de forma independente”, para saber se o ex-presidente morreu envenenado.

Alega que testes feitos por laboratórios internacionais apontam presença de uma substância, o tetranitrato de eritritol – que é um componente químico explosivo.

Jango 2

Laudo oficial da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência, em dezembro do ano passado, não indicava nenhum sinal de envenenamento no corpo de Goulart – que morreu na Argentina, em 1976.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.