Jabuticaba dos juros

Redação

12 de junho de 2009 | 12h34

E o Brasil, finalmente, ultrapassou a barreira do dígito único na sua taxa de juros. Mas, mesmo assim, continua um dos campeões mundiais, perdendo apenas, nos juros reais, para China e Hungria. Por que isso? Fala-se em razões estruturais, no crédito subsidiado para a agricultura e o do BNDES, na cobrança de impostos inexistentes em outros países, na forte expansão do crédito e nos investimentos em 2008.

Mas há um fator menos empírico que influi também, segundo o ex-BC Luiz Fernando Figueiredo, da Mauá Investimentos. “O Brasil tem uma cultura de juros altos e a melhora da economia é recente.”

Em resumo, a taxa de juros é a jabuticaba que sobrou na economia brasileira.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: