Itamaraty envia e recolhe telegrama sobre posse de Bolsonaro

Itamaraty envia e recolhe telegrama sobre posse de Bolsonaro

Sonia Racy

15 Novembro 2018 | 01h00

JAIR BOLSONARO E ERNESTO ARAÚJO. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

JAIR BOLSONARO E ERNESTO ARAÚJO. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Escolhido ontem o novo ministro de Relações Exteriores – Ernesto Araújo –, os convites para a posse de Bolsonaro devem andar. No dia 31 de outubro, o Itamaraty mandou e recolheu, no mesmo dia, telegrama confidencial convidando líderes internacionais para a cerimônia em Brasília. Foi enviado a todas as missões brasileiras espalhadas pelo mundo, avisando que “nações amigas” estariam recebendo convites para o evento do dia 1.º de janeiro.

De quebra, pedia-se, na mensagem, que as missões informassem, “com a brevidade possível, da reação das autoridades convidadas”.

Horas depois, o Itamaraty alertou, da mesma maneira, que os telegramas deveriam ser desconsiderados.

Faltou ouvir equipe
de transição

Procurada pela reportagem, a assessoria do MRE explicou que o recolhimento ocorreu por conta de erro. “Os convites para chefes de Estado e de governo estrangeiros só serão encaminhados após interlocução oficial com o grupo de transição e com a equipe governamental que está sendo formada.”

Leia mais notas da coluna:
Mourão fala a investidores de NY que queriam ouvir… um militar
Presidente da Petrobrás deve ficar no posto