Investigar sim… sem prejulgar

Sonia Racy

16 Maio 2017 | 01h00

Investigar sim…
Indagado sobre o “caso BNDES” – a condução coercitiva de funcionários do banco pela PF, sexta-feira, Gilmar Mendes afirmou à coluna que “ações que configuram arbitrariedade devem ser coibidas”. De São Petersburgo, na Rússia, onde participa de congresso internacional sobre normas eleitorais, o ministro do STF foi além: “A corregedoria (da PF) deveria fiscalizar melhor as atividades de áreas sob sua guarda”.

Ontem, em entrevista à coluna, a presidente do banco, Maria Silvia Bastos, disse não entender a condução coercitiva e defendeu a equipe de técnicos da instituição.

…sem prejulgar
O ministro defendeu “maior rapidez” na votação do projeto sobre abuso de autoridade que tramita no Congresso. Um dos argumentos que mencionou foi que o pedido de investigação de ministros do STJ acabou “amedrontando toda a esfera de controle do Judiciário”.

“Perdemos o equilíbrio entre os poderes”, completou Gilmar, que volta ao Brasil no fim da semana.

A voz do prefeito
Em conversa com interlocutores, no domingo, Michel Temer disse que não pretende colocar em votação a reforma da Previdência antes de um acordo com “todos os municípios”.

O governo já tem apoio da Frente Nacional dos Prefeitos. Falta obter o da Confederação Nacional dos Municípios. Juntas, as duas representam todos os municípios importantes, entre os 5.570 do País.

Doria cedeu
Após pressão dos vereadores que integram a CPI da Dívida Ativa ontem, Doria encaminhou projeto de lei à Câmara propondo a volta do PPI.

Se a proposta original passar, devedores poderão obter redução de até 85% do valor dos juros de mora e de 75% da multa incidente sobre o débito se for à vista. A prazo, até 120 vezes.

R$ 1 bilhão
Caio Megale, da Fazenda municipal, acha que o programa pode aumentar a arrecadação da Prefeitura em ao menos R$ 1 bilhão. “Até mais, por conta de retomada da economia”.

Para alcançar a meta, os vereadores pretendem assegurar no texto final que esse seja o único PPI aberto pela atual gestão.