Inveja mata 2

Sonia Racy

21 de setembro de 2010 | 23h01

Depois de apresentar pessoas e projetos do ano, Clinton sentou-se e entrevistou com competência por mais de uma hora Eric Schmidt, do Google, Melinda Gates, da Microsoft, Tarja Halonen, presidente da Finlândia, e Bob McDonald, da empresa Procter&Gamble.

Destaque para Melinda, cujo trabalho na Fundação Bill&Melinda Gates tem merecido elogios pelo mundo. “Ela poderia estar comprando na Madison Avenue, mas está na luta por um mundo melhor”, observou a brasileira Marlova Noleto, da Unesco. No que Sergio Gordilho, da Africa, corrigiu: “Melinda poderia comprar toda a Madison”.

Escorregão de Clinton na condição de entrevistador. “Depois da invenção do Ipad, o mundo não precisa mais de computadores.” Melinda Gates apenas sorriu.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.