Projeto no Senado cria o ‘gestor de integridade’ dos EUA

Sonia Racy

24 Dezembro 2016 | 01h05

O fiscal externo que Odebrecht e Braskem se comprometeram a contratar – com acesso total às suas atividades durante três anos–, no acordo assinado anteontem com autoridades dos EUA, está “tomando corpo” na lei brasileira.

No PLS 435, apresentado no final de novembro pelo senador Antonio Anastasia, ele se chama “gestor de sistema de integridade”. Segundo o texto, o gestor terá funções de acompanhamento e controle idênticas às que já existem nos EUA.