Informação privilegiada

Sonia Racy

19 de novembro de 2014 | 01h10

Não ter publicado fato relevante, em maio, avisando que a SBM Offshore lhe informara sobre propinas pagas a seus funcionários, vai complicar ainda mais a vida da Petrobrás. Na condição de companhia aberta, a estatal é obrigada a avisar seus acionistas quando há informação que possa afetá-la.

O mercado só soube da maracutaia holandesa agora, cinco meses depois – por meio de declaração de Graça Foster, na segunda-feira.

Privilegiada 2

O curioso é que a Petrobrás publicou fato relevante, no dia 31 de março deste ano, para esclarecer que uma comissão interna de apuração não encontrara evidência de propina da SBM a empregados da estatal. Agora, deveria ter feito o mesmo.

Procurada, a petroleira não respondeu até o fechamento desta coluna.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.