Imperfeito

Sonia Racy

03 de janeiro de 2012 | 23h10

O recesso do Tribunal de Justiça de SP está mantendo preso quem deveria estar solto. Exemplo? Um jovem não conseguiu pagar sua fiança, determinada dias antes da parada. Seu processo está trancado em uma sala cuja chave também saiu de férias.

A Defensoria Pública tenta reverter a situação.

Imperfeito 2

Quem está preso em flagrante pode ficar retido, sem nem uma acusação, por até duas semanas a mais, quando acabam as férias forenses.

Não está entre as atribuições dos plantonistas dar encaminhamento aos inquéritos enviados pelos delegados.

Imperfeito 3

Por fim, há queixas do pessoal de plantão. Os turnos, que deveriam durar quatro horas, chegam a se estender a até oito, devido à demanda.

Esta é a primeira vez, em anos, que o TJ-SP tem recesso tão longo, de 20 dias.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.