As lágrimas do ex-ministro

Sonia Racy

31 de agosto de 2016 | 00h34

José Eduardo Cardozo jura que sua emoção, no fim do discurso, ontem, não era cena. “Ninguém está representando aqui. Impossível não ficar indignado com injustiças. Não aceito que se fale do pessoal”, desabafou, referindo-se ao final da fala de Janaína Paschoal – em que ela disse defender “o Brasil dos netos de Dilma”.

Lágrimas 2

Cardozo contou à coluna que essa foi a segunda vez em que se emocionou ao defender alguém como advogado. A primeira foi, ainda recém-formado, quando ganhou causa contra a reintegração de posse em uma favela de São Paulo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: