Immaculée Ilibagiza

Sonia Racy

23 de setembro de 2011 | 10h31

Diferentemente do publicado nesta coluna, Immaculée Ilibagiza, sobrevivente do genocídio de 1994, em Ruanda, não é mais funcionária da ONU. A africana trabalhou na organização em seu país natal e nos escritórios americanos a partir de 2008. Hoje, dedica-se a dar palestras sobre superação, perdão e sua história de vida.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: