Imbróglio

Sonia Racy

26 de março de 2014 | 01h02

A intenção de um grupo de sócios do Clube Pinheiros era se deitar sobre as alamedas de mosaico português – para protestar e forçar a paralisação da reforma do piso.

Imbróglio 2

Às vésperas da manifestação, no entanto, os sócios foram informados de que a obra havia sido interrompida por determinação do presidente do conselho do clube, que reavaliaria a situação.

O protesto foi suspenso, mas os trabalhos… não. Procurado, o clube afirmou não ter havido “qualquer ordem para paralisar as obras”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.