Imbassahy: ‘Velejadores estão bem, mas talvez só sejam liberados em outubro’

Imbassahy: ‘Velejadores estão bem, mas talvez só sejam liberados em outubro’

Sonia Racy

18 de julho de 2018 | 11h51

ANTONIO IMBASSAHY / FOTO PSDB

Os três velejadores brasileiros presos em Cabo Verde, acusados de tráfico de drogas, estão sendo bem tratados no presídio de São Vicente. O Brasil apresentou à Justiça local uma apelação em defesa deles, mas é provável que o julgamento só aconteça lá por outubro. As informações foram passadas à coluna no final da manhã desta quarta-feira, por telefone, pelo deputado federal baiano Antonio Imbassahy, que está em Cabo Verde.

Imbassahy participou ontem de encontro de Michel  Temer com autoridades da ilha, no qual o assunto foi mencionado de passagem — o presidente brasileiro levou aos anfitriões sua expectativa de que a posição brasileira, de que os três são inocentes, seja levada em conta pela Justiça cabo-verdense. O deputado falou à coluna pouco antes de se dirigir ao aeroporto local, de onde decolaria de volta a Salvador.

O sr. esteve ontem com os três presos, Daniel Dantas, Rodrigo Dantas e Daniel Pessoa. Como eles estão?
Conversei com os três, numa sala da prisão de São Vicente. Eles estão bem. É um lugar simples, mas bem cuidado e o tratamento é atencioso. Estive também com a diretora do presídio, que chamam de dona Vanda, bastante solícita com os nossos pedidos. Mas em tudo o que fizermos, é claro, temos de respeitar a autonomia das autoridades locais.

O que foi conversado com essas autoridades? Dá pra saber quando os três serão libertados?
Ao que me informaram, está começando aqui o recesso do Judiciário e isso paralisa um pouco as coisas. Ouvi que o julgamento do processo — e, eventualmente, a absolvição dos três — poderia ocorrer em outubro. Há alguma chance de isso ser antecipado, mas não há garantia de que isso de fato aconteça.

Tecnicamente, quais medidas o governo brasileiro vem tomando para obter a libertação?
Há uma apelação, que foi apresentada pela Justiça brasileira às autoridades de Mindelo, onde fica o presídio. Basicamente, esse documento pede que seja levada em conta a investigação da PF brasileira, segundo a qual os três detidos não são traficantes de droga, são inocentes.

Como foi a conversa do presidente Temer com as autoridades da ilha?
O presidente foi levar, em primeiro lugar, sua solidariedade aos presos. Disse no encontro, ao se falar desse tema, pois a conversa foi muito mais ampla, que está preocupado e acompanhando de perto os passos que vêm sendo dados na busca de uma boa solução para o episódio.

Leia mais

++ Burocracia atrasa documentos e velejadores brasileiros não são libertados em Cabo Verde