Ideia de aliança PSDB-PSD avança em São Paulo e no Brasil

Ideia de aliança PSDB-PSD avança em São Paulo e no Brasil

Sonia Racy

24 Fevereiro 2018 | 01h00

GILBERTO KASSAB

GILBERTO KASSAB. FOTO: J.F. DIORIO/ESTADAO

Vem ganhando espaço, no PSDB, a ideia de aliança com o PSD – leia-se, dar a Gilberto Kassab a vaga de vice numa eventual chapa de Doria em SP e, a Alckmin, o tempo do partido para a campanha presidencial.

Não por coincidência, o ministro tem duas agendas na Prefeitura – assina nesta segunda convênio sobre internet pública e na terça vai a seminário sobre o CITI, projeto para criar centro tecnológico onde hoje é o Ceagesp.

Se o quadro se consolidar, segundo alguns, é possível que o governador convença o tucanato de que o melhor, mesmo, é o partido não fazer prévia nenhuma para outubro.

Mas, e se houver prévias em São Paulo? Nesse caso, o projeto está pronto e a ordem é reduzir custos ao mínimo. Centros de votação serão montados em vários diretórios da Capital e nas 47 regiões eleitorais do interior.

Um aplicativo restrito seria distribuído aos diretórios, com cadastro atualizado dos eleitores e para repassar os resultados à sede em SP.

De um quadro de 96 mil filiados, dos quais 43 mil “militantes orgânicos”, líderes tucanos imaginam que pelo menos 20 mil compareceriam, para escolher o candidato a governador.

Leia mais notas na coluna:

Rebelo defende Josué Gomes como candidato do PSB

Ferreira está otimista com projeto de privatização da Eletrobrás