Hospital Albert Einstein processa José de Abreu

Hospital Albert Einstein processa José de Abreu

Sonia Racy

11 de janeiro de 2019 | 00h50

José de Abreu/ FOTO SORAYA URSINE/ESTADAO

 

O Hospital Israelita Albert Einstein decidiu processar José de Abreu. O ator publicou no Twitter, no dia 1.º, que o hospital teria “apoiado” a facada em Jair Bolsonaro.

“A afirmação (de Abreu) atinge intencionalmente a reputação do hospital e, por isso, além da ação civil – a ser desenvolvida por Décio Milnitzky,– vamos ajuizar a queixa-crime para apurar a difamação”, explica o criminalista Carlos Kauffmann.

Para Milnitzky, a reparação deve ser feita por meio de indenização que será destinada a uma obra social. “O hospital, que existe para salvar vidas, foi acusado de ser cúmplice em uma tentativa de homicídio. Isso é extremamente grave”, afirma. Para ele, uma das consequências drásticas foi o alcance do tuíte – que, antes de ser apagado dias depois, chegou a ter 5.400 curtidas.

Leia mais notas da coluna:
+ CIDH prepara comunicado mostrando preocupação com Brasil
Não é possível cancelar benefícios e manter provas de Joesley, diz parecer