Home, sweet

Sonia Racy

26 de fevereiro de 2016 | 01h15

No país da piada pronta, vai a informação: o local escolhido para abrigar o camarote de Keith Richards, no estádio do Morumbi na noite de anteontem, foi… a sala antidoping do São Paulo.

Famoso por seu envolvimento com drogas, o irônico guitarrista dos Rolling Stones, ao falar sobre o assunto à revista musical NME, em 2007, não resistiu: “A coisa mais estranha que eu já tentei cheirar foi meu pai depois de cremado…”. Provocou comoção mundial.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: