Holiday quer R$ 100 mil de Ciro por novos ataques

Sonia Racy

28 de junho de 2019 | 00h25

 

Bate-boca 2.0

Ciro Gomes atacou de novo e Fernando Holiday… foi à Justiça de novo. Em entrevista em São Paulo, o ex-ministro disse há dias que não volta atrás das críticas ao deputado do DEM – que tornou a chamar de “capitãozinho do mato nazista”.

Três meses atrás Holiday processou Ciro por ataques semelhantes e a justiça lhe concedeu, em 2.ª instância, R$ 38 mil. Agora ele volta a processar Ciro “por injuria racial e reparação de danos morais”.

Desta vez, seu pedido inicial é de… R$ 100 mil.

Boa ideia  

A pelo menos uma pessoa, o secretário Sérgio Sá Leitão confidenciou: SP vai criar um conservatório permanente em Campos do Jordão. A ser administrado pela Osesp.

O festival de inverno da cidade começa amanhã.

Cadê?

Do jeito que as coisas andam, o Cade vai parar no dia 14 de julho caso o Senado não analise as indicações feitas por Bolsonaro para compor o seu conselho. É que, com o fim do mandato de três integrantes, o órgão não terá mais quórum para atuar, levando à paralisação de dezenas de processos.

Prevendo o desastre, o Instituto dos Advogados de São Paulo divulga hoje nota pública alertando para o fato.

Mares revoltos

O Club Med de Itaparica está informando, a clientes interessados em desfrutar do hotel na Bahia, sobre uma triste novidade: vai fechar suas portas no dia 31 de julho.

À coluna, o clube esclareceu que a decisão do grupo é “parte de uma estratégia mundial de focar em resorts que evoluem para um posicionamento premium”.

Fumacê

Grande e conhecido empresário, ao investir R$ 50 milhões em uma empresa maconha medicinal, provocou um corre-corre. Novos investidores estão disputando entrada na nova startup.

Incontinência 

Ao tuitar sobre o peso de Dilma e Lula, registrando que ambos têm mais de 39kg, Abraham Weintraub provocou reação até de antipetistas.

João Amoêdo defendeu desculpas públicas do ministro e o influencer Rodrigo Constantino ressaltou a devida liturgia do cargo. “Inacreditável”, atirou.

Leia mais notas da coluna:
+ Julgamento sobre Lula pouco influencia o mercado de ações
+ Hora melhor para debater abuso de autoridade ‘não é agora’, adverte jurista

 

 

Tendências: