Haja papel

Sonia Racy

07 de maio de 2016 | 00h24

O testamento de um herdeiro de uma das famílias mais ricas do País, morto no fim do ano passado, está dando problema. Solteiro, mais de 70 anos, ele deixou a fortuna para quatro amigos – um deles escolhido inventariante e administrador dos bens.

A irmã, igualmente rica, não gostou e entrou com ação judicial para anular o testamento.

A disputa não é só pelas fazendas, casa na praia e helicóptero, mas, principalmente, pelas ações de controle de grande grupo industrial.