Guerra fria

Sonia Racy

15 de março de 2011 | 23h07

Para a Associação Paulista de Defensores Públicos, o pano de fundo para esta reação seria o convênio que a Defensoria tem com a Ordem. Esse mecanismo permite que advogados atendam pessoas carentes – e recebam repasse – em locais onde defensores não chegam. Com a expansão da Defensoria, a tendência é que o acordo seja cada vez menos usado.

Para a OAB, o problema é outro. Costa diz que “há uma tentativa de afirmar a autonomia do órgão, esquivando-se de responder ao Tribunal de Ética da Ordem”. Além do fim da contribuição financeiramente.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.