Guerra dos bispos

Redação

05 de janeiro de 2010 | 10h40

Quando a briga é entre bispos, o prejudicado vai queixar-se a quem? No Ceará, à Secretaria de Segurança.

Foi o que fez d. Angelo Pignoli, da Diocese de Quixadá. Mergulhado há meses em uma guerrinha particular com o bispo anterior, d. Adélio Tomasin, ele se diz até ameaçado de morte.

Aposentado por idade, d. Adélio continuou morando na cidade e se desentendeu com o sucessor, que queria inspecionar sua gestão. A briga já passou pela CNBB e foi parar no Vaticano.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.