Guerra à dengue

Sonia Racy

29 de dezembro de 2015 | 01h40

David Uip elogia a aprovação, pela Anvisa, da vacina contra a dengue da francesa Sanofi Pasteur. “É a única no momento e tem eficácia em 95% dos casos graves”. E um de seus benefícios, ressalta, é determinante: ela reduz em 80% o total das internações. 

Mas o secretário da Saúde aponta algumas limitações. “Primeiro, ela protege índices variáveis dos quatro sorotipos na média de 60%, que não é a ideal”. E o fato de serem três doses diminui a adesão. Terceiro, será aplicada na faixa dos 9 aos 45 anos. Em SP, a mortalidade foi maior na faixa acima dos 70 anos.

Guerra 2

Enquanto isso, uma segunda vacina, pesquisada no Butantã, entrou na fase 3, que prevê testes em 17 mil pessoas. É uma dose única e até agora produziu anticorpos em 80% dos vacinados.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: