Grave, a vida

Sonia Racy

30 Julho 2015 | 01h12

Alberto Toron vê como grave injustiça a prisão do presidente licenciado da Eletronuclear, almirante Othon Luiz Pinheiro da Silva. “Culpado ou não, veremos no fim do processo. Entretanto, ele já saiu da empresa, não é uma ameaça a ninguém e nem pretende deixar o País.”

Na visão do criminalista, o ato é exemplo claro do “terrorismo penal que está se praticando”.