Gramado

Sonia Racy

22 de maio de 2013 | 01h12

Alexandre Padilha lançou mão da tradicional rivalidade Brasil-Argentina para reforçar a proposta de importação de profissionais estrangeiros. Alega que não podemos perder para “los hermanos”.

Segundo o ministro, a Argentina tem 3,2 médicos para cada grupo de mil habitantes. O Brasil, apenas 1,8.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.