Governo da Bahia entra em choque com ambientalistas

Governo da Bahia entra em choque com ambientalistas

Sonia Racy

17 de agosto de 2019 | 13h05

COSTA DO CACAU. FOTO: DIVULGAÇÃO

Se correr…

Dia D marcado para 27 deste mês. O fórum de Ilhéus será palco de audiência nada amistosa entre defensores do meio ambiente e integrantes do governo da Bahia, que está determinado a repassar, gradualmente, 1,5 mil hectares na região da Costa do Cacau para a Eurasian Resources Group — ou melhor, Bahia  Mineração, empresa do Cazaquistão.

… o bicho pega

O movimento Sul da Bahia Viva se organiza para juntar gente espalhada entre as cidades de Ilhéus e Itacaré e brigar para proteger a biodiversidade de uma das costas mais ricas do mundo.

Estão decididos a não deixar que o governo baiano ignore a titularidade, a tradição cultural e a sobrevivência de famílias que vivem ali.

Se ficar…

Este é um exemplo significativo destes novos tempos de Bolsonaro, em que se engalfinham  defensores da ideia  de desenvolvimento e os que veem nisso a destruição do ambiente.

O projeto em questão se arrasta há anos, sem sucesso. O governo petista de Rui Costa, com caixa pra lá de baixo, está dando prosseguimento rumo à concretização do investimento.

… o bicho…

O governo briga para que a Bahia Mineração finque seus pés nessa costa de olho na exportação de ferro para a China, que exige construção de ferrovia e de porto. Autorizou criação de mina — cuja exploração dura algo como 25 anos –, abrindo assim espaço para 10 mil empregos diretos e indiretos.

…pega também

Já o Bahia Vivo, composto de agricultores, artistas, empresários, surfistas e pescadores argumenta,  em sua luta para manter a produção agroindustrial de cacau e chocolate, turismo e pesca, que essas atividades geram… 125 mil empregos.

Verdade

A ditadura militar no Brasil é foco de uma exposição no Sesc Belenzinho, a partir de quinta. Batizado Meta-Arquivo 1964-1985, o projeto, iniciado há um ano, conta com curadoria de Ana Pato e a participação dos artistas e equipe do Memorial da Resistência.

Entre as ações, está a abertura de uma mostra, quinta-feira, expondo trabalhos de Ana Vaz, Grupo Contrafilé, Grupo Inteiro, Giselle Beiguelman, Ícaro Lira, Mabe Bethônico, Paulo Nazareth, Rafael Pagatini e Traplev.

Verdade 2

No sábado, dia 24, um debate abordará as organizações clandestinas atuantes do período de 1960 a 1970, com participação especial de Amelinha Teles – militante do PC do B torturada pelo regime.

 

 

Leia mais notas da coluna:
+ Prefeitura faz conferência para ampliar ações no turismo
+Procon e Enel querem acabar com ‘gambiarras’ nos postes

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: