Governo consulta Comissão de Ética para confirmar nomeações no BNDES e no BB

Sonia Racy

09 de abril de 2019 | 00h55

GUSTAVO FRANCO. FOTO: FELIPE RAU/ESTADÃO

GUSTAVO FRANCO. FOTO: FELIPE RAU/ESTADÃO

Louvável

O governo Bolsonaro está tendo o cuidado de consultar a Comissão de Ética Pública para efetivar a nomeação de Gustavo Franco na presidência do conselho do BNDES e de Luiz Fernando Figueiredo para igual cargo no BB.

Pelo que se apurou, a cautela é necessária. Está sendo levada em consideração a nova lei das estatais, que rege varias normas – entre elas a figura do “conflito de interesses”. Franco, hoje, é sócio da Rio Bravo Investimentos e Figueiredo, da Mauá Invest.

Louvável 2

A princípio, segundo fonte abalizada, esse conflito não existe por falta de “materialidade”: as duas instituições financeiras privadas não seriam concorrentes do BB.

Louvável 3

Hélio Magalhães, que presidirá o conselho da Caixa, não terá o nome avaliado: o ex-Citi não tem hoje ligação com qualquer instituição financeira.

Terceiro sócio

Assim que o IFC der seu ok, a Terra Brasis, do Banco Plural, e a Austral, da Vinci Partners, concretizarão sua fusão, criando empresa de resseguros valendo algo como R$ 1,2 bilhão – conforme publicado ontem no Broadcast.
O IFC, braço do Banco Mundial, é sócio das duas.

Tropa de elite

Gilmar Mendes e seu IDP levam trupe de caciques para o Fórum Jurídico de Lisboa. O “pacote” inclui – para citar só os brasileiros – Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, mais Dias Toffoli (pelo STF) e João Otávio de Noronha (pelo STJ).

Palestrante inicial, no dia 22? Sergio Moro.

Elite 2

Alexandre de Moraes e Gebran Neto, do TFR-4, estão no painel seguinte. E ao longo do dia também falam, ao lado de magistrados portugueses, Raul Jungmann, Leandro Daiello (ex-PF), Fábio Medina Osório (ex-AGU) e Luis Felipe Salomão.

Na bica

Depois da comemoração do Dia do Jornalista, no domingo, o STF julga recurso extraordinário que discute o enquadramento dos profissionais de redes sociais.

Segundo se apurou, a discussão de fundo não diz respeito a direitos trabalhistas e sim ao fato de se confundir a profissão com outras em tempos de fake news, incluindo aí a chamada pós-verdade.

Mito

Reação ontem à nomeação de Abraham Weintraub: para Renato Janine Ribeiro, a ideia de que as universidades brasileiras são “antros de esquerda” é enganosa. O novo ministro defende vencer o que chama de “marxismo cultural” nas instituições.

Na opinião do ex-ministro da Educação de Dilma, “faculdades de engenharia e de medicina costumam ter maioria à direita e a área de humanas, à esquerda”. Ou seja, em sua avaliação existe pluralidade.

Mito 2

Para Ribeiro, discussões “com factoides” distraem os gestores de prioridades, como a alfabetização na idade certa.

Fui ver

Mia Couto foi ontem à Ocupação Manoel de Barros, no Itaú Cultural, antes que começasse a ser desmontada. O escritor moçambicano veio ao Brasil participar do relançamento de Grande Sertão: Veredas pela Cia. das Letras.

Fui comprar

E Keanu Reeves gostou dos desenhos de Antonio Bernardo. O ator comprou três peças na sua loja dos Jardins.

Leia mais notas da coluna:
+ ‘Minha relação não é com a fama, é com a arte’, diz Maria Rita
+ Tensão sobre a Previdência domina jantar do Lide

Tendências:

  • Netflix divulga as 5 séries internacionais preferidas do público brasileiro
  • Após afastamento, Laura Cardoso deve voltar às gravações de 'A Dona do Pedaço' nesta semana
  • Maria Joaquina de 'Carrossel', Ludwika Paleta posta foto com filho e recebe elogios de fãs
  •  Lollapalooza Brasil 2020: confira o line up por dia