Golpe dos direitos

Redação

17 de junho de 2009 | 09h34

Dizendo-se fiscal do Ecad, um cidadão apareceu dias atrás na festa junina de um colégio, contou os presentes e foi à diretoria cobrar os “direitos autorais” pelas músicas tocadas. Disse que “R$ 100 estava bom”, mas a diretora não pagou.

O Ecad avisa que não faz esse tipo de cobrança. E o sindicato das escolas vem brigando, na justiça, por achá-la inconstitucional.

Veja também:
mais imagensShopping Iguatemi é palco para a pré estreia do documentário Top Models – Um Conto de Fadas Brasileiro
mais imagensDJ Zé Pedro capitaneia festa em torno do novo álbum, Esta Moça Está Diferente
mais imagensMarco Antonio de Biaggi faz lançamento do livro Estilo Biaggi, na sede São Paulo do Iate Clube de Santos

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: