Gilmar troca preventiva de Laurence Casagrande por medidas cautelares

Sonia Racy

04 Setembro 2018 | 23h02

LAURENCE CASAGRANDE

LAURENCE CASAGRANDE. FOTO: JB NETO/ESTADÃO

O ministro Gilmar Mendes deferiu nesta terça o pedido feito pela defesa de Laurence Casagrande Lourenço e estendeu a ele a liminar que havia sido concedida a Pedro da Silva pela 2.ª Turma do STF.

Com isso, a prisão preventiva foi substituída por medidas cautelares. Entre outras, ele teve de entregar seu passaporte e está proibido de deixar o País.

Sobre a medida, seu advogado, Eduardo Carnelos, afirmou que “nestes tempos tristes em que impera a banalidade do Mal, de que falou Hannah Arendt, em que se considera normal a manutenção na prisão, sem nenhum fundamento, de um homem de bem, é um alento receber essa notícia” que devolve Laurence “ao convívio dos amigos”.

Casagrande havia sido diretor-presidente da Dersa e da Cesp, cargo que ocupou até ser preso na Operação Pedra no Caminho.