Gilmar critica juristas que pediram seu impeachment

Gilmar critica juristas que pediram seu impeachment

Sonia Racy

17 de junho de 2017 | 01h00

MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL

“O fracasso lhes subiu à cabeça”. Foi assim que Gilmar Mendes reagiu ontem ao ser convidado a comentar o pedido de impeachment contra ele apresentado quarta-feira no Senado – liderado pelo ex-PGR Claudio Fonteles e o professor da UnB Marcelo Neves e antecipado no blog da coluna.

“Quando ele (Neves) foi expulso da FGV, eu o ajudei. Depois, ele desempregado, sugeri seu nome para o CNJ. Quando saí de lá, ele não foi reconduzido”, bate Gilmar, afirmando, em seguida, que o advogado “tem problemas comportamentais sérios”.

Gilmar critica 2

Fonteles, indicado à PGR por Lula, tampouco é poupado pelo ministro – segundo o qual ele chegou a ser apelidado de “Dr. Inépcia”.

Para Gilmar, “ambos são pessoas que resolveram sair do ostracismo me atacando”.

Memória

O presidente do TSE também retruca uma das acusações envolvendo conversa que teve com Aécio Neves a respeito do projeto de abuso de autoridade. “Defendo o projeto publicamente desde 2009”.

Outro lado

Marcelo Neves explica que foi expulso injustamente da FGV e que recebeu indenização pelo fato. Que chegou ao CNJ por indicação de Aloizio Mercadante e que Gilmar só apoiou. E em seguida atira de volta: “Quem tem distúrbios é o sr. Gilmar.”

Fonteles, sobre seu apelido, observa: “É só ver quem sou para o mundo jurídico”.

Fui…!

Assim que deixar o MinC, do qual se demitiu ontem, João Batista de Andrade volta a cuidar de… cinema.

“Deixei quatro anos de direção no Memorial da América Latina, onde meu salário era bem maior, mas foi para ajudar a cultura e não para disputar cargo”, resumiu o ex-interino para a coluna.

Rock em tela

Lírio Ferreira vai fazer documentário sobre a banda gaúcha Cachorro Grande. Começa a filmar na semana que vem, quando Samuel Rosa, do Skank, participa de um ensaio com o grupo.

A ideia é filmar bastidores da preparação dos músicos para a gravação de seu primeiro álbum ao vivo e lançar documentário em 2019, quando a banda completa 20 anos.