Gestão temerária e a ação no BNDES

Sonia Racy

13 Maio 2017 | 01h00

Alterado às 15h20 para atualização de conteúdo

Dois veteranos conhecedores da vida empresarial tiveram ontem reações semelhantes a respeito do foco central da Operação Bullish – a ação contra o BNDES. Avaliar o que é uma gestão temerária, dizem ambos, é uma tarefa delicada, cheia de riscos.

“Determinar se um negócio é seguro ou não é uma questão delicada, sensível, resume Carlos Ari Sundfeld, professor da FGV. “Um gestor não pode dissipar recursos sem uma análise adequada. Mas todo cuidado é pouco ao se fazer acusações precoces contra o gestor. O que se mostrou indevido podia não ser detectável no início”.

Gestão temerária 2

Na mesma linha, Ary Oswaldo Mattos Filho, ressalta: tudo depende de provas. Cobrar juros abaixo do normal pode, ou não, ser gestão temerária. Da mesma forma, pode ser, ou não, deixar de pedir garantias suficientes.

E se algo inesperado ocorre, fora dos cálculos, e a certeza da análise inicial desaparece? “Sempre se pode fazer uma distinção vendo os casos precedentes. “Mas a gestão temerária tem de ser vista com lupa maior, porque é dinheiro público.”

PMDB corre para garantir
aprovação da reforma da Previdência

Baleia Rossi corre de porta em porta para convencer o PMDB na Câmara a fechar questão na reforma da Previdência. Ele já avisou ter conseguido 40 assinaturas.

A bancada tem 64 deputados. Sua torcida é que as adesões influenciem o DEM e o PSDB.

Secretário faz visita anônima
para avaliar Cracolândia

Passada a confusão na Cracolândia, David Uip foi nesta sexta de manhã, anonimamente, conferir  a situação na área dos conflitos. Acompanhado apenas de um assessor, o secretário da Saúde queria checar, de perto,
as ações do programa Recomeço, que recupera dependentes químicos.

Semana que vem, ele tem reunião com outros secretários de Alckmin, para definir as futuras etapas do trabalho.”Pode ter certeza”, disse ele à coluna, “não vamos descansar enquanto não acabarmos com a Cracolândia. “E fique certo, nós faremos isso.”

 

Drama da Chapecoense
já vai para o cinema

E a tragédia da Chapecoense estpa chegando ao cinema. Goleiro é o título do filme que começa a ser produzido pelo sertanejo Thiago di Melo.

Ele conta a história de Danio Padilha, o goleiro do time, que morreu com outras 70 pessoas na queda do avião na Colômbia, em novembro do ano passado.

Semana feliz

Se o sucesso do ano passado se repetir, a Semana Nacional dos Museus – que começa dia 18 – receberá 80% mais visitantes do que em todo o resto do ano. Participam do evento 1.070 museus – dos 3.743 do País – com mais de 3 mil atividades em 485 cidades .

Desde a criação da semana, em 2003, os inscritos passaram de 57 museus para 1.070. Aumento de 1.777%.