Garantia de indulto seria razão do apoio de Temer a candidaturas de aliados

Sonia Racy

10 Junho 2018 | 01h49

MICHEL TEMER. FOTO ESTADÃO

Circula em meios empresariais que a razão para Temer se empenhar tanto em candidaturas presidenciais de políticos próximos seria abrir caminho para um eventual indulto, caso ele corra riscos assim que deixar o cargo.

Seu sucessor, nessa hipótese, faria o que fez Gerald Ford, presidente americano que, em setembro de 1974, perdoou Richard Nixon, depois do caso Watergate.

Impossível, não é. “Mas muito problemático”, pondera à coluna o constitucionalista Roberto Dias, da PUC. A Constituição permite isso, no art. 84, inciso XII. “Mas o custo político de tal iniciativa seria considerável”, acrescenta o professor.

Embaixada, com foro privilegiado,
poderia ser um ”plano B’

Poucas pessoas estão dando atenção ao art. 102, inciso I, da Constituição, que assegura foro privilegiado a todos os chefes de postos  em Embaixadas do País. Taí a razão do rumos segundo o qual Temer poderia, em 2019, ser designado para uma embaixada lá fora.