Ganhou…

Sonia Racy

12 de julho de 2013 | 01h09

A Técnica Construções foi classificada em primeiro lugar em licitação do Dnit – órgão do governo federal que cuida da infraestrutura dos transportes. Mas não vai levar, segundo o próprio Dnit.

A coluna telefonou para a autarquia ligada ao Ministério dos Transportes e recebeu, de volta, parecer emitido… ontem. Diz tratar-se de manobra para burlar a Lei de Licitações. “A Delta tem pleno poder sobre sua subsidiária”, afirma Arthur Luís Pinho de Lima, do Dnit – autor do documento.

A Técnica apresentou a melhor proposta, de R$ 4,3 milhões, para tocar obras em rodovia federal no Pará.

…, mas…

É o primeiro revés concreto sofrido pela companhia de Fernando Cavendish após a revelação de sua existência, neste espaço, há uma semana.

Consultada, a Técnica informa que “não há qualquer impedimento legal” para participar de licitações. E que continuará se inscrevendo, “pois foi criada para gerar receitas destinadas ao plano de recuperação judicial da Delta”.

…não levou

A CGU declarou que, ao tomar conhecimento, pela coluna, da participação da Técnica, pediu sua exclusão do processo. “A inabilitação da empresa constitui o óbvio, decorre da lógica jurídica e do bom senso, para não falar do princípio da moralidade”, afirma Jorge Hage, ministro-chefe da CGU.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.