Moro errou ou não com Lula? Juristas dão sua opinião

Sonia Racy

05 de março de 2021 | 00h50

SERGIO MORO

SERGIO MORO. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

As relações entre Sergio Moro e os desembargadores do TRF-4 responsáveis pelas condenações do ex-presidente Lula estarão no centro do debate no STF em julgamento virtual pautado para começar hoje. “No Brasil, as discussões sobre a perda de imparcialidade dos juízes são tratadas como se fossem ofensivas aos magistrados, ou afetassem a imagem da Justiça”, afirma o criminalista Antônio Pitombo.

Ele entende que o debate é fundamental “para evolução do Judiciário”.

Dia D 2

Para declarar a quebra de imparcialidade de juiz por suspeição, segundo Roberto Livianu, seria necessária prova cabal de “amizade íntima entre Moro e desembargador”, o que não parece ser o caso.

O presidente do Instituto Não Aceito Corrupção acredita que a defesa de Lula pode estar tentando “turvar as águas do lago”.

Dia D 3

Já Ives Gandra Martins tem a impressão de que não houve cerceamento de defesa dos advogados de Lula nos processos que culminaram na sua condenação. “Não percebo um quadro que justifique a anulação de decisões.”

De forma geral, fala que houve “acesso diferenciado de membros do MP a Moro” mas que “ele deferiu corretamente à luz da prova e com fundamento jurídico”.

E lembra que a amizade entre advogados, juízes e procuradores é comum na sala de aula e na universidade.

Desconstrução

Assistente de Adriana Varejão por dez anos, Jeane Terra abre exposição segunda, Dia da Mulher. A artista traz instalações, esculturas, obras de sua “pintura seca” ou “pele de tinta”.

Batizada de “Escombros, peles, resíduos”, estará na Simone Cadinelli Arte Contemporânea.

Pelo mundo

Chega ao Brasil o projeto “Out of the Margins”, da ONG britânica Stonewall – ação global pela defesa dos direitos LGBTQIA+. A Change.org fica a cargo da versão brasileira em parceria com o Instituto Brasileiro de Transmasculinidades.

Esforço de imagem

Depois da trágica e incompreensível morte por espancamento em Porto Alegre, o Carrefour deflagra ação de combate à violência contra a mulher. O resultado da venda de pães franceses, dia 8, será doado à Utopiar.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.