Gafi avalia projeto sobre bloqueio de bens por terrorismo

Sonia Racy

10 de março de 2019 | 01h00

Recém-aprovado na Câmara e no Senado, o projeto que acelera o bloqueio de bens dos investigados por terrorismo começa a ser avaliado pelo Gafi, Grupo de Ação Financeira Internacional, ao qual o Brasil é filiado.

O grupo deu prazo até junho para averiguar ser o texto, que aguarda sanção de Jair Bolsonaro, atende às suas recomendações.

Tudo para evitar o risco de o Brasil deixar de ser “ país cooperante”, o que acarretaria sanções. Quais? Angelo Calori, especialista de compliance financeiro, dá exemplo: alguns bancos poderiam abandonar as operações no País.

“A questão do risco Brasil se ampliaria. E até nações que querem comerciar com nosso País poderiam aplicar penalidades”, explica.

Leia mais notas da coluna:
MP paulista quer que blocos ‘atrasados’ comecem e terminem cedo
Secretaria de SP multa empresas por ‘furar’ patrocinadores do carnaval de rua

Mais conteúdo sobre:

lavagem de dinheiro