Fusível

Sonia Racy

04 Janeiro 2015 | 01h03

O Ministério das Minas e Energia começa o ano ligado no 220. É que estudo sobre a matriz energética do País, formatado pela Associação Brasileira de Energia Nuclear será apresentado ao novo ministro, Eduardo Braga.

Pontos nevrálgicos? O prejuízo de R$ 2 bilhões da Eletronuclear em 2014 e a dependência, cada vez maior, das poluentes termelétricas.