Furacão quântico

Redação

03 de outubro de 2008 | 08h08

No “olho do furacão” é difícil traçar um rumo. É com essa frase que Affonso Celso Pastore, um dos mais respeitados economistas brasileiros, começa o relatório que enviou ontem a clientes do sistema financeiro. Segundo ele, os físicos modernos nos ensinam que em “singularidades”, como um “buraco negro”, as proposições da física clássica não são válidas.

Agora, que a desaceleração da atividade econômica no Brasil vai vir mais forte, lá isto vai. Encurtando o ciclo de aumento dos juros e, possivelmente, antecipando o movimento de queda da taxa no ano que vem.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: