Funéreo

Sonia Racy

25 Setembro 2013 | 01h08

Governo e Prefeitura no meio de um imbróglio em relação… à remoção de corpos na cidade. De um lado, o Serviço Funerário Municipal, que trabalha com apenas dois carros e quer ajuda financeira do Estado para comprar outros – mas foi impedido pelo TCM de adquiri-los.

Do outro, o Estado, que, ante uma ameaça de paralisação, pediu liminar à Justiça para que o município continue prestando o serviço.

Funéreo 2

Encurtando a história, pode-se adiantar que os secretários de Haddad e Alckmin – envolvidos nessa confusão esdrúxula – já estão conversando para estabelecer um convênio.

Proposta? O Estado doaria seis carros zero km, com seguro pago. E o município seria responsável pela mão de obra e o combustível.