Freire ‘vigia’ alianças do Cidadania, à espera de Huck

Sonia Racy

18 de dezembro de 2019 | 00h49

ROBERTO FREIRE FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Roberto Freire, que comanda o Cidadania, tem informado aos aliados a norma número 1 para as eleições do ano que vem: “Quem quiser fazer alianças com Lula ou com Jair Bolsonaro vai ter que pedir aval à direção”.

Isso pode acontecer, por exemplo, no Ceará, onde o partido já integra o governo Camilo Santana, do PT. “Foi um caso aceito pela direção e lá vamos muito bem”, explicou à coluna. O partido já tem candidatos em 12 capitais e mais 17 cidades – com destaque para Marcelo Calero no Rio e Daniel Coelho no Recife.

Foco é deixar porta aberta
para candidatura de Huck

Excluir os dois extremos da política ajuda a preparar o partido para, mais à frente, receber Luciano Huck. “É como Luciano diz, ele está correndo uma maratona. E nós estamos fazendo nossa parte”, conta Freire, que tem discutido sobre possíveis alianças com Rodrigo Maia, FHC e Samuel Moreira.Alta temporada
no litoral

O governo de SP está a ampliando a oferta de embarcações – de 24 para 31 – para quem vai ao litoral. Amanhã, a travessia São Sebastião/Ilhabela já contará com uma segunda lancha para pedestres e ciclistas com capacidade para 450 passageiros.

E, pela primeira vez, a travessia Guarujá/Bertioga terá, a partir de janeiro, lancha para transportar até 190 pessoas.Menos é menos

Pronto para ser votado no plenário da Câmara de SP, o projeto que limita os serviços de aplicativos de transporte, como 99 e Uber, pode criar problema sério no orçamento municipal de 2020: vai reduzi-lo em cerca de R$ 200 milhões. A conta é do vereador Police Neto, fazendo os cálculos do valor pago pelas empresas à Prefeitura por quilômetro rodado.

Explicando: o texto limita a operação de carros por aplicativo ao total de táxis em circulação – e com isso reduzirá de 150 mil para cerca de 40 mil as novas licenças.
 
Estátua para Senna no
parque ecológico do Tietê

Ayrton Senna recebe homenagem especial hoje, no Parque Ecológico do Tietê: uma estátua de quatro metros de altura, criada por Humberto de Oliveira, com estrutura interna de metal e, por fora, resina industrial.

A iniciativa é da Associação Eu Amo o Brasil. Viviane Senna e João Doria participam.

Soy a favor

A ex-ministra da Cultura Ana de Hollanda assinou petição online em favor do especial de Natal do Porta dos Fundos.

O programa sofreu ataques de líderes evangélicos que pedem boicote à Netflix, por exibir a atração com um Jesus gay.

Vazio

Festival de funk realizado pela Secretaria de Cultura na Cidade Tiradentes, pensado também como alternativa aos pancadões da região, esteve bem longe do sucesso esperado.

A ausência de público, ao que se apurou, decorreu de terem convidado artistas desconhecidos na região – em sua maioria, cariocas. Deise Tigrona e MC Carol, por exemplo, se apresentaram para cerca de 500 pessoas num espaço que já recebeu 20 mil. O evento, segundo Ozziel Evangelista Souza, subprefeito de Sapopemba, não impediu a realização de dois outros pancadões no mesmo fim de semana. Procurada, a Secretaria não respondeu.

Esquema carioca

Jardim das Delícias: Uma Noite de Surrealismo Tropical em Ode ao Rio, é o tema do baile da Vogue deste ano. Além da festa, no dia 8 de fevereiro, vão fazer parte das festividades uma feijoada no Hotel Fairmont e um passeio de catamarã pela orla da cidade, no domingo.

 

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: