Fratura exposta

Sonia Racy

25 de junho de 2010 | 08h12

Emanoel Araújo, curador do Museu Afro Brasil, ficou muito magoado com as declarações de Carlos Augusto Calil, durante encontro de museus paulistas nesta semana. O secretário municipal da Cultura disse que a exposição O Deserto Não É Silente não fazia diferença, pois vinha de um país ditador, a Líbia.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.