Fora do tom

Sonia Racy

02 Dezembro 2014 | 01h02

Conib e Fisesp enviaram carta ao Sindicato dos Músicos de SP. Manifestaram “estranheza” e “desconforto” pela acusação da entidade contra o maestro John Neschling, segundo a qual ele toma “atitudes nazistas”.

Enviada ao presidente do SMSP, Gerson Taje, conhecido como “Alemão”, a carta lembra que, entre os 6 milhões de judeus exterminados durante o Holocausto, havia familiares de Neschling. “Não se deve usar esse ‘adjetivo’ de forma a banalizá-lo.”