Fogos de artifício

Sonia Racy

29 de junho de 2012 | 01h02

Nara Roesler vai dobrar seu espaço. Passará a ocupar a antiga galeria Thomas Cohn, que fica ao lado da sua. O novo ambiente (“para ampliar o pensamento”, como define a galerista) será dedicado, a partir de setembro, a exposições com curadoria de gente de peso – como Patrick Charpenel.

Com cinema, café e biblioteca, pretende ser um “novo ponto de encontro da cidade”, conta.

Fogos 2

Vik Muniz, artista recentemente integrado ao rol de Roesler, prepara, para novembro, sua primeira curadoria no Brasil – já fez este trabalho para o MoMA, Metropolitan e Musée d’Orsay.

E produz obras para uma individual na galeria, prevista para março do ano que vem.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.