Fogo amigo 2

Sonia Racy

23 de agosto de 2011 | 23h08

Também repercutiu mal a declaração de Vitor Ortiz, secretário-executivo do MinC, ao Estado, sobre convênios iniciados ainda no tempo de Lula: “Se fosse governo de descontinuidade, teríamos cancelado a metade ou todos”.

A frase causou estranheza também entre artistas e produtores culturais. Eles questionaram, recentemente, as contratações realizadas pela Funarte, de Antonio Grassi, para a reinauguração do Teatro Dulcina, no Rio.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: